4° dia da Semana da Contabilidade conta com o Fórum do Grupo de Estudos Técnicos de Perícia, Arbitragem e Blockchain

Publicado em: 27 | 09 | 2018

por Assessoria de Comunicação do CRCMG

O quarto dia da Semana da Contabilidade foi marcado pelo Fórum do Grupo de Estudos Técnicos (GET) de Perícia, Arbitragem e Blockchain. O coordenador do grupo, Walter Coelho de Morais, abriu o evento falando sobre a palestra do dia e os temas que seriam abordados, além de desejar um bom evento aos presentes.

A palestra do dia, “Questões periciais do âmbito da Operação Lava Jato”, foi realizada pelo atual gestor do Grupo de Perícias Contábil-financeiras da Superintendência de Polícia Federal do Paraná, Ricardo Andres Reveco Hurtado. Na ocasião, Ricardo explicou sobre a importância das perícias financeiras e como elas podem ser decisivas nas investigações criminais. Usou como exemplos os casos da Sanko e da Odebrecht, para ilustrar seus argumentos e detalhar melhor o funcionamento das perícias criminais. Para finalizar, comentou um pouco sobre as vantagens da interação entre áreas distintas da perícia e sobre como ela melhora e agiliza o serviço.

Em seguida, foi promovida uma mesa-redonda com o palestrante Ricardo, o coordenador do GET, Walter Morais, e o vice-coordenador do GET, Marco Antônio Amaral Pires, que debateram assuntos atuais relacionados à perícia. Na ocasião, os profissionais presentes puderam fazer perguntas e, entre os questionamentos levantados, foram abordados os desafios da perícia com a chegada das moedas virtuais. De acordo com Walter, o mercado está avançando e, com isso, os procedimentos contábeis estão passando por inovações que trarão desafios para a perícia, como a movimentação financeira através de moedas criptografadas. “Teremos que fazer perícia de empresas que farão movimentações financeiras com moedas virtuais. Como elas não precisam de regulamentação, não há lastro algum. A criptomoeda é o futuro. Mas, com ela, há grandes riscos. Pode ser que seja somente uma moda ou pode ser que ela se firme e valorize. Os novos desafios vão exigir o desenvolvimento de mais competências para atendermos às demandas da sociedade, o que é a nossa principal função.”, finalizou ele.

Fotos por: Déborah Arduini e Marina Almeida